Ser Mãe

A famosa frase do poema de Coelho Neto: “ser mãe é padecer num paraíso” é muito usada pelas mães que acompanho nas minhas assessorias. Escuto que ser mãe é maravilhoso e que jamais conseguiriam retornar à vida que tinham antes da maternidade. Mas, muitas vezes, a ideia da maternidade é romantizada com fotos de bebês dormindo e famílias perfeitas. Ninguém fala sobre as dificuldades reais do dia a dia, as dúvidas e inseguranças. No início do ano, o Facebook lançou o desafio da maternidade. A proposta era postar fotos de mães e filhos felizes, mas as mulheres não concordaram com a ideia romantizada da maternidade e começaram a postar imagens e mensagens das rotinas e dificuldades reais. Mais recentemente o Netflix lançou a temporada da série Turma do peito e de forma exagerada, na minha opinião, demonstram o cotidiano da maternidade e os benefícios de se ter apoio e frequentar grupos de mães. Na realidade, o amor instantâneo pode não vir para todas as mulheres no momento em que se tornam mães, e isso é totalmente normal. Um exemplo da dificuldade materna pode ser a amamentação que, no início, pode ser dolorida. Muitas, não vão conseguir amamentar pelos mais variados motivos. E aí vem o primeiro sentimento de culpa e frustração, de muitos que ainda virão. Dormir uma noite inteira? Esqueça. Pelo menos por alguns anos. Isso não quer dizer que você não é uma boa mãe ou que seu filho tem problemas de saúde. Faz parte do processo de desenvolvimento da criança. Às vezes sente fome, dor, necessita ser acalentado durante a noite para voltar a dormir. Acompanho há 17 anos as mães nos cuidados ao bebê e amamentação, e vejo o quanto é desafiadora a maternidade. Precisamos falar abertamente sobre o mundo real da maternidade e o quanto o companheiro e as redes de apoio da família são fundamentais, mas não para dar palpites e sim, para cuidar da mãe. Os grupos de mães são ótimos para trocarem experiências e para que percebam que não estão sozinhas nessa jornada, principalmente, se forem mães de primeira viagem. Mas mesmo passando por todas as dificuldades, a mãe olha para seu filho e não imagina mais sua vida sem ele, a cada dia que passa esse amor só aumenta, é uma construção diária. Quando falamos das dificuldades reais da maternidade, não é para desencorajar as mulheres a terem filhos, mas para alertar de que não é fácil ser mãe ! E que muitas iniciativas podem contribuir para atenuar as dificuldades como o aumento da licença maternidade e paternidade. Espaços e respeito pela amamentação em locais públicos e nos trabalhos, respeito da sociedade por mães que não conseguem amamentar ou terem os partos conforme idealizaram. Salários iguais aos dos homens e que não sejam discriminadas nos seus empregos por serem mães ou mesmo por terem que faltar ao trabalho por motivo de doença dos filhos. A maternidade é um furacão de transformações que trazem mudanças pessoais, profissionais, sociais e um sentimento de amor tão grande que não cabe no peito. Por fim, aproveito outra frase do mesmo poema que citei no início do texto: “Ser mãe é andar chorando num sorriso! ”

Feliz Dia das Mães.