Amamente o bebê no momento da vacina

Que momento difícil para as mamães e os papais a vacinação dos filhotes! Algumas mamães relatam que não conseguem ficar na sala de vacina, solicitam para os pais segurarem o bebê e choram junto com o bebê. 

Mas o Ministério da Saúde no manual de normas e procedimentos para vacinação de 2014 na página 50 publicou a seguinte recomendação: Caso a criança esteja em aleitamento materno, oriente a mãe para amamentá-la durante a vacinação, para maior relaxamento da criança e redução da agitação. Pois a sucção produz analgesia natural!

 Baseado em evidências científicas, a OMS elaborou um documento recomendando a amamentação durante a vacinação. O leite materno contém endorfina, substância química que ajuda a suprimir a dor. É uma boa ideia amamentar o bebê na hora da vacina. Ajuda a superar a dor e o leite materno também reforça a eficiência da vacina (Castro, 2012). A amamentação é uma estratégia natural, facilmente disponível, fácil de usar e livre de intervenção que pode ser facilmente adotada pelos prestadores de cuidados de saúde e pais (Shah, Aliwalas & Shah, 2006).

Portanto, vamos divulgar essa informação e acabar com o sofrimento e dor dos bebês, mamães e papais durante a vacinação.

Fonte: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_procedimentos_vacinacao.pdf

Nos siga nas redes sociais e no blog, vamos compartilhar informações baseadas em evidências científicas com qualidade.

Abraço.

Os benefícios da amamentação exclusiva

A amamentação poderia evitar mais de 820 mil mortes de crianças menores de 5 anos no mundo, por isso é um assunto que não deve ser negligenciado pelas futuras mamães e pelos profissionais da saúde. A prevalência de amamentação exclusiva até 6 meses de vida do bebê em Porto Alegre é de 38,2%. A prática alimentar inadequada nos primeiros 2 anos de vida está associada ao aumento de doenças infecciosas, desnutrição, excesso de peso, carência de nutrientes como ferro, zinco e vitamina A.

O aleitamento materno promove a saúde mental, psíquica e física da mãe e da criança.  Mas segundo Henrietta Fore, diretora executiva da UNICEF, as mães não recebem apoio suficiente para poderem amamentar, mesmo por profissionais de saúde.

A OMS e a UNICEF recomendam não afastar a mãe e o bebê logo após o nascimento, permitindo o contato pele a pele e o início da amamentação com orientações e apoio dos profissionais da saúde. Ainda há locais que desperdiçam o colostro e oferecem ao recém nascido fórmula infantil e água com açúcar. 

O colostro é o primeiro leite da mãe, rico em nutrientes e anticorpos importantíssimos para a saúde do bebê.

A OMS e o Ministério da Saúde recomendam que os bebês sejam alimentados exclusivamente com leite materno até aos seis meses, sem necessidade de fornecer nenhum outro líquido, nem mesmo água, chá, ou suco. As mães devem se preparar para amamentar sem horário marcado e pelo tempo que o bebê determinar. É preciso reconhecer os sinais de fome do bebê que são: Procura pelo seio materno (virando a cabeça para os lados), sugar as mãozinhas, choro. No Brasil 42,9% iniciaram a amamentação na primeira hora de vida do bebê. 

A partir dos 6 meses de vida a criança deve receber frutas, verduras, legumes e comida salgada.

Fonte: II pesquisa de prevalência de aleitamento materno nas capitais brasileiras e DF 2009.

Quer receber informações sobre amamentação e cuidados ao bebê? Nos acompanhe nas nossas redes sociais e no blog.

Abraço.

Se preparando para amamentar

Durante a gestação o bebê vive em total inconsciência alimentar, pois é nutrido pelo cordão umbilical.  Após o nascimento, o bebê vai buscar, no aconchego do colo materno, reviver as sensações que tinha no útero. E a amamentação será o acolhimento, a proteção e o vínculo.  Amamentar é doar-se por inteiro àquele novo ser e proporcionar uma adaptação tranquila após nascimento.

Para isso, a mãe necessita estar bem informada e preparada para saber amamentar e auxiliar o seu bebê.

Organizei este artigo com respostas para algumas perguntas frequentes das gestantes.

  • Como podemos preparar o seio para amamentar?

Em geral, não é aconselhável passar bucha no seio, pode lesionar a pele. Não passe creme hidratante na região dos mamilos. O recomendado é deixar as mamas expostas ao sol, sem sutiã, por 15 minutos. Nos horários até 10 horas da manhã ou após às 16 horas.

  • Qual melhor Sutiã?

O recomendado é  usar um sutiã que seja confortável, de algodão, tenha alças largas e uma boa sustentação, não tenha ferro para não machucar os seios e que os seios fiquem totalmente dentro do sutiã.

  • Formato dos mamilos podem influenciar na amamentação?

Durante a gestação, os hormônios vão preparando as mamas para amamentação. É importante auxiliar o bebê na “pega” ao seio materno que não deve ser somente na região dos mamilos. A mãe deve estimular o bebê para abrir a boca de forma que fique visível uma pequena região da aréola.

  • Quanto tempo deve ser cada mamada?

Recomenda-se mamadas frequentes, sem horário e duração pré-determinados (livre demanda), ou seja, o bebê deve mamar sempre que demonstrar sinais de fome.

  • Quais são os sinais de fome?

O bebê coloca as mãos na boca, abri a boca em busca da mama, faz movimentos de sucção e o choro.

Convido você, para curtir nosso blog e os canais nas redes sociais para acompanhar as publicações com informações sobre amamentação, prevenção de acidentes na infância e outros temas pertinentes ao cuidado na infância.

Abraço.

Técnica de Translactação e relactação

É indicado em caso de prematuridade, diminuição da produção do leite materno e uma das grandes vantagens é que não interfere na amamentação, já que o bebê, ao sugar o seio, recebe o leite através do sistema com a sonda, ao mesmo tempo estimula a musculatura necessária para sugar o seio materno e a produção do leite materno.

O ideal que seja leite materno ordenhado para fazer a técnica e que a mãe tenha acompanhamento e orientações de profissional especializado em amamentação.

Abraço.

 

5 Motivos que podem dificultar a amamentação.

O início da amamentação pode não ser algo fácil para algumas mães e é importante o apoio da família,  amigos, companheiro, profissionais da Saúde  para que as mães se sintam seguras e confiantes de que seu leite é o melhor alimento para seu filho e que a natureza se encarrega de produzir.

Alguns motivos que podem prejudicar a amamentação são:

  • A falta de orientações e informações durante a gestação;
  • Não ter o apoio do companheiro e da família;
  • Excesso de visita e a falta de descanso;
  • Beber pouca água;
  • Ter fissuras e dor nas mamas.

Procurar informar-se durante a gestação sobre a amamentação vai proporcionar a segurança necessária para iniciar a amamentação assim que o bebê nascer. Na presença de qualquer dificuldade, é necessário uma avaliação com profissionais qualificados para auxiliar na amamentação.

Michele Ferreira

Enfermeira- Assessoria em amamentação

(51) 9 8405-6323

Como amamentar gêmeos?

A melhor posição para amamentar é a que a mãe e o bebê estejam confortáveis. Se forem gêmeos, no início pode ser difícil, assim como também pode ser para mães com um filho. Fique calma, saiba que a natureza se encarrega de produzir leite para dois. Algumas mães preferem amamentar os dois ao mesmo tempo, para estimular a produção de leite e economizar tempo, facilitando a rotina.

O desafio é acomodar os bebês em uma posição confortável e a posição invertida pode ser indicada, pois o corpo e as pernas dos bebês ficam debaixo dos braços da mãe, coloque a almofada ou travesseiro para apoiar os bebês. Se no início for difícil, amamente um de cada vez e com o tempo você consegue amamentar os dois juntinhos.

Aproveitem o período da gestação para obter informações sobre os cuidados com o bebê, amamentação, prevenção de acidentes e primeiros socorros. Dia 17 de março teremos o curso preparando o ninho para a chegada do bebê.

Informe-se pelo Tel. (51) 9 8405-6323 ou e-mail: aconchegoblog@gmail.com

Abraço.

 

E-book com 10 dicas para solucionar dificuldades com Amamentação

O aleitamento materno é uma experiência de afeto, comunicação, conforto e proteção extra-útero, todo esforço para amamentar é a garantia de que o bebê terá seu desenvolvimento e crescimento saudáveis até a vida adulta.

Há mais de 17 anos, trabalho em prol do aleitamento materno, com objetivo de contribuir com as mães e os bebês para que tenham a experiência de amamentação plena e eficaz.

Espero que este e-book traga conhecimento e segurança para as mães que vão amamentar e para as que estão amamentando.

Forte Abraço!

Clique no link abaixo para acessar o E-book:

E book 10 dicas para solucionar dificuldades com amamentação